Amputação de coxa, de perna ou de pé são exemplos de nível de amputação de membros inferiores. Também chamada pelos profissionais da saúde como amputação de MMII, se faz necessária principalmente após acidentes de trabalho ou trânsito, tumores ósseosdiabetes e complicações do pé diabético.

Dois casos muito famosos de amputação de membro inferior é do empresário e ex-fisiculturista Vitor Dourado, que tem amputação transtibial bilateral. E da musa da natação paralímpica Camille Rodrigues que nasceu com malformação congênita e tem desarticulação de joelho desde os 4 anos de idade.  

PRINCIPAIS CAUSAS PARA AMPUTAÇÃO DE MEMBRO INFERIOR

Os fatores principais são:

  • Acidentes de trabalho ou trânsito;

  • Diabetes e pé diabético;

  • Tumores;

  • Malformação congênita, como a hemimelia fibular;

  • Problemas vasculares;

  • Infecções generalizadas.

Quando um paciente precisa recorrer à amputação de membro inferior, seja por diabetes, tumores ou problemas vasculares o pré-agendamento da cirurgia possibilita o início da fisioterapia e o acompanhamento psicoterápico logo no início de todo o procedimento, proporcionando um menor tempo de adaptação às próteses ortopédicas.

Vale ressaltar que esse período leva em consideração as particulares de cada paciente, bem como o nível e motivo da amputação.


QUAIS SÃO AS AMPUTAÇÕES DE MMII: MEMBRO INFERIOR?

Amputação de Membro Inferior
Amputação de Membro Inferior

1 – HEMIPELVECTOMIA

Toda a perna do paciente é amputada, desde partes da bacia até o pé.

2 – DESARTICULAÇÃO DE QUADRIL

Acontece na altura da bacia, no qual o fêmur o osso da coxa, é amputado por completo. Em decorrência disso, é a pelve do paciente a maior responsável por controlar as próteses ortopédicas.

3 – AMPUTAÇÃO TRANSFEMORAL

Também conhecida como amputação de coxa, a amputação transfemoral ocorre entre a articulação do quadril e o joelho.

4 – DESARTICULAÇÃO DE JOELHO

É a retirada total da rótula do joelho e de outros ossos da perna, como a tíbia e fíbula, preservando o fêmur.

5 – AMPUTAÇÃO TRANSTIBIAL

Consiste na retirada parcial ou completa da tíbia e fíbula, ossos da panturrilha. Por este motivo, muitas pessoas costumam se referir à transtibial como “amputação de perna”.

6 – AMPUTAÇÃO DE PÉ

Pode ser tanto uma amputação de dedo do pé, como desarticulação de calcanhar.

Embora seja mais frequente do que as amputações de membro superior, os amputados de membro inferior também estão suscetíveis à síndrome do membro fantasma ou às inflamações e infecções do coto amputado. Por isso, é tão importante manter a higienização diária.

PRÓTESES ORTOPÉDICAS PARA MEMBRO INFERIOR

desarticulação-de-joelhoExistem muitas próteses ortopédicas disponíveis no mercado e que cumprem o que prometem. Além de analisar as características de cada pessoa para estipular a prótese ortopédica adequada, o nível de amputação é outro determinante.

Por exemplo, a estrutura de uma prótese ortopédica transtibial é menos complexa do que a amputação transfemoral, já que essa última demanda um joelho ortopédico, como o 3R80 ou Mauch Knee.

Independente da causa ou do nível de amputação, este é um momento delicado para qualquer pessoa, já que os desafios psicológicos pós amputação são inúmeros. Por isso, uma boa base familiar e comprometimento da equipe da responsável pela reabilitação é imprescindível.

Se você gostou desse post sobre amputação de membro inferior, siga nossas páginas nas redes sociais para acompanhar nossas atualizações! Estamos no Facebook e no Instagram!